A IN14 e a compartimentação horizontal

Olá amigos! Seguindo nossa série sobre as novas Instruções Normativas dos Bombeiros de Santa Catarina (IN’s) hoje abordaremos uma parte da IN014 – Compartimentação, Tempo de Resistência ao Fogo e Isolamento de Risco. Essa legislação versa sobre itens de proteção passiva como a compartimentação nas edificações, os tempos requeridos de resistência ao fogo (TRRF) de diversos elementos, isolamento de risco, áreas máximas de compartimentação, proteção de aberturas nos entrepisos e diversos outros itens. Hoje nos concentraremos na compartimentação horizontal

O primeiro critério para definir se sua edificação precisará atender a IN14 no que tange às compartimentações horizontais é verificado na IN01, de acordo com a área total, ocupação e altura descendente dela.

Dependendo da área do pavimento e de sua utilização, conforme descrito na IN14 sua edificação poderá necessitar de elementos de compartimentação horizontal.

A compartimentação é a separação ou divisão da edificação com elementos resistentes ao fogo, com o intuito de conter ou minimizar a propagação das chamas, calor e fumaça em caso de sinistro. É uma medida que deve ser observada já desde o projeto arquitetônico uma vez que ela envolve a delimitação de espaços, definição de fachadas, afastamento entre aberturas (esquadrias) entre outros aspectos correlatos. A compartimentação horizontal é aquela que visa limitar os efeitos do fogo em um mesmo plano horizontal (pavimento).

Segundo essas duas legislações (IN14 e IN01) em edificações residenciais multifamiliares, por exemplo, sempre deve ser prevista a separação entre unidades autônomas através da seguinte maneira:

– As paredes de divisa entre unidades e entre estas e as áreas comuns deverão ter resistência ao fogo por 2 horas.

– As portas de entradas nas unidades deverão ser resistentes ao fogo por pelo menos 30 minutos.

– As aberturas como portas e janelas, situadas em um mesmo plano (parede), deverão possuir um afastamento entre si de pelo menos 1m, ou essa distância pode ser substituída por aba vertical entre as aberturas, perpendicular ao seu plano (parede), com profundidade de 50cm de aba vertical, altura igual a da abertura mais alta acrescido de 30cm e espessura igual a da parede composta do mesmo material;

Aberturas no mesmo plano com afastamento maior ou igual à 100cm

 

Aberturas no mesmo plano com afastamento menor que 100cm

– Quando as aberturas forem em paredes paralelas (corredor ou circulação), ou em paredes de canto, que pertençam a unidades autônomas distintas, estas não poderão ser coincidentes (as aberturas não podem estar de frente uma para a outra), devendo também estar afastadas entre si em no mínimo 1,5m.

Aberturas em paredes paralelas

As aberturas em paredes de compartimentação devem ser evitadas, porém quando forem necessárias deverão receber tratamento adequado preservando a resistência ao fogo do elemento de acordo com o tipo de furo que está sendo feito e o material a ser protegido. Segundo a IN14 estes elementos/soluções para proteção das aberturas poderão ter TRRF 30 min abaixo da parede de compartimentação porém nunca menor que 30 min. Por exemplo, a proteção para um duto de climatização que fura uma parede de TRRF de 2 horas (120 min) poderá ter resistência de 1,5 horas (90 min).

Sem comentários

Postar um comentário