Conheça os principais tipos de bombas de aplicação residencial

Olá pessoal! O mercado de motobombas está repleto de opções, são diversos modelos, aplicações e potências. Escolher uma bomba para nossas residências pode mostrar-se uma tarefa árdua por muitas vezes. No post de hoje vamos lhe apresentar algumas linhas disponíveis no mercado, sua principais características e em que situação são recomendadas.

BOMBAS CIRCULADORAS DE ÁGUA QUENTE

Estas bombas são de pequena potência e com o corpo em bronze, devido à temperatura elevada da água que por elas passam. Podem ser instaladas em diversas situações: como auxílio do sistema de recirculação de água quente ou para forçar a passagem de água quente entre coletores solares e boiler térmico, quando este estiver em posição hidraulicamente desfavorável em relação aos coletores.

Schneider Solaris – para circulação entre boiler e coletores solares (Fonte: Schneider Motobombas)

Schneider BPR – para pressurização de pequenas redes de água quente (Fonte: Schneider Motobombas)

Existem modelos também que podem ser instalados após o boiler quando este não permitir a admissão de água pressurizada para pressurizar as redes de água quente e fria simultaneamente.

Rowa Tango 14 – Instaladas em pares, para a pressurização após o boiler (Fonte: ROWA)

BOMBAS PRESSURIZADORAS DE ROTOR FECHADO

De tamanho reduzido, esses modelos destinam-se à pressurização de 1 ou 2 banheiros que sejam alimentados por um aquecedor. A bomba deve ser instalada na rede de água fria em posição próxima ao aquecedor. Esses modelos trabalham com a pressurização de cima para baixo e entram em funcionamento de maneira automática através de um sensor de fluxo acoplado à própria bomba.

Schneider SP – bombas pressurizadoras de rotor fechado com pressostato e fluxostato acoplados (Fonte: Schneider Motobombas)

BOMBAS PRESSURIZADORAS COM TANQUE DE PRESSÃO

As bombas de pressurização com tanque de pressão podem ser utilizadas tanto de baixo para cima, quanto de cima para baixo. Os tanques de pressão, acumulam água pressurizada assim, quando acionamos algum ponto de consumo, instantaneamente já contaremos com água pressurizada, a bomba somente entrará em operação caso o voluma acumulado no tanque seja completamente consumido. Além do conforto esse sistema prova-se mais eficiente no que diz respeito ao consumo de energia, uma vez que o volume previamente pressurizado, evitará, na maioria dos casos, o “liga e desliga” da bomba que é uma atividade que consome bastante energia.

Schneider TAP – linha de bombas com tanque de pressão (Fonte: Schneider Motobombas)

O profissional que especificar o tanque, deverá dimensioná-lo de acordo com a quantidade de pontos a serem alimentados por este, bem como a diferença de nível entre estes e o local de instalação da bomba.

BOMBAS PRESSURIZADORAS COM INVERSOR DE FREQUÊNCIA

Esse tipo de bomba conta com o um inversor de frequência que, semelhantemente ao funcionamento dos ar condicionados do tipo inverter, onde o dispositivo controla a potência do motor, trabalhando sempre de acordo com a demanda necessária e na sua melhor faixa de rendimento. Isso garante aos usuários mais conforto uma vez que a pressão se mantém constante mesmo com a abertura de mais pontos de consumo.

Schneider SubDrive Inline 1100 – Bombas pressurizadoras com inversor de frequência acoplado (Fonte: Schneider Motobombas)

Devido a modulação de frequência, que garante que o motor trabalhará apenas para manter a pressão necessária, não são produzidos golpes de aríete na rede e esse modelo de bomba ainda gasta menos energia que os sistemas convencionais.

Rowa Press 270VF e Rowa Max Press 30VF – dois modelos de bombas com variador de frequência acoplados (Fonte: ROWA)

MOTOBOMBAS CENTRÍFUGAS MONOESTÁGIO

Com rotor fechado e de estágio único, estes modelos destinam-se ao recalque de pequenos volumes de água limpa. São recomendadas em residências onde a pressão fornecida pela concessionária seja inferior à necessária para atingir-se os reservatório superiores, ou ainda se a topografia do próprio lote for muito desfavorável.

Schneider BC-98 – Bomba centrífuga monoestágio com certificação Procel (Fonte: Schneider Motobombas)

MOTOBOMBAS CENTRÍFUGAS SUBMERSÍVEIS

Esses modelos como o próprio nome indica, são instalados submergidos no local de onde deverão bombear líquidos. Com rotor semi-aberto, essas bombas podem bombear desde água com pequenos sólidos como por exemplo na drenagem de áreas alagadas ou no rebaixamento de lençol freático, até partículas de maiores diâmetros dos esgotos.
É o caso de imóveis em terrenos com desnível onde a rede de coleta pública de esgotos esteja acima de alguns pontos da residência e chegar até esse rede por gravidade não seja uma opção.

Famila BCS – Bombas submergíveis (Fonte: Schneider Motobombas)

Levar sempre em consideração o diâmetro máximo das partículas que estarão presentes no líquido a ser bombeado. Nesses modelos também, observar a lâmina mínima que deve ser mantida sobre a bomba, uma vez que, principalmente nos modelos de maiores potência o líquido em torno do motor da bomba que a ajudará a mantê-lo resfriado.

Schneider BCS-S1 – compacta e fácil de ser trnasportada pode ser utilizada em diversas situações: limpezas de caixas d’água, piscinas, cisternas e até em eventuais alagamentos (Fonte: Schneider Motobombas)

Esperamos ter ajudado, nos vemos na próxima publicação!

Sem comentários

Postar um comentário