Testes de estanqueidade: como, quando e por que fazer.

Anteriormente já explicamos como é possível identificar os vazamentos nos mais diversos pontos em sua casa, trataremos agora sobre a estanqueidade em sistemas prediais e industriais.

O teste de estanqueidade é uma etapa muito importante que deve ocorrer durante a montagem do sistema, ainda quando as tubulações estão expostas, isso por que, durante esta fase da execução o reparo é muito mais simples de ser feito do que quando a tubulação já se encontra embutida.

Vazamentos em tubulações embutidas pode gerar grandes incômodos. (Fonte Leak Doctor)

A NBR 5626 que trata de sistemas hidráulicos aponta a importância desse sistema, entretanto, este teste é igualmente importante para os diversos sistemas de tubulações que transportam outros tipos de líquidos e gases.

O teste de estanqueidade no sistema hidráulico pode ser feito de maneira muito simples, a tubulação é preenchida de água e logo após é verificado visualmente cada conexão, pois, o liquido em questão pode ser facilmente verificado de forma visual, o que não ocorre quando se trata de sistemas de gás. Este método se torna inviável quando se trata de uma grande rede de tubulações, uma vez que, a quantidade de conexões é muito alta e a inspeção de cada peça levaria muito tempo.

Dispositivo para testes manuais de estanqueidade em tubulações de água (Fonte Rothenberger)

Os sistemas que transportam fluídos combustíveis requerem cuidados especiais uma vez que o vazamento desta rede pode causar um acidente de grandes proporções. Quando se trata da utilização de gás a inspeção se torna mais difícil, inviabilizando a inspeção visual, o método ideal para este sistema é o teste com auxílio de manômetros.

O método ideal para grandes redes hidráulicas e sistemas de gás combustível é a verificação através de manômetro. O procedimento de forma simplificada é o seguinte, primeiramente é feita a introdução de gás na rede, geralmente o nitrogênio por não ser inflamável, posteriormente o sistema é pressurizado e então através do manômetro é possível identificar a variação da pressão, caso a pressão se mantenha constante o sistema não possui vazamentos. A vantagem da utilização deste método é que é possível identificar até mesmo “microvazamentos” pelo fato de que o nitrogênio tem grande facilidade de sair por pequenos furos. t

Procedimentos do teste de estanqueidade em tubulações de gás combustível. (Fonte: Conexões MT)

A execução deste teste requer um profissional habilitado e deve ser levado em conta fatores como o material da tubulação em questão e as características da utilização deste sistema. A NBR 15.358 de 2017 que trata das redes de gás combustível de uso não residencial defini como intervalo máximo para inspeção periódica de 5 anos, após a data de publicação desta normativa o número de entidades que passaram a exigir a periodicidade do teste de estanqueidade aumentou consideravelmente. O Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina em 2018 passou a exigir laudo de estanqueidade das redes de gás com validade de até 5 anos como um dos requisitos para liberação de uso das edificações, através da Instrução Normativa 008 – Instalação de gás combustível (GLP e GN), até mesmo para edificações residenciais.

Fontes:

NBR 5.626
NBR 15.358

www.laudonr13.com.br/teste-de-estanqueidade-laudo-ensaio-teste-de-pressao-em-rede-de-gas-ou-glp/

www.abpebrasil.com.br/cartilha/4_8_1.pdf

www.rwengenharia.eng.br/teste-de-estanqueidade/

Sem comentários

Postar um comentário